vendredi 3 février 2012

Duas metades não inteiras

Você sabe bem porquê estou aqui. Resume-se apenas naquele último dia. Naquele que a gente brigou feio. Não olhei para você e bati a porta com mais força que o normal. A raiva me consumia aos poucos, a ponto de achar que o idiota da história, desde o início, foi você. Eu, cega e iludida, jamais havia percebido que nas tuas mãos era tratada como um brinquedo, não como uma mulher. O amor cedia aos poucos, até que certo dia, enquanto ouvia você roncar do outro lado da cama, fiquei a pensar se você chamava aquilo de amor. Na minha cabeça, agora penso, fomos feitos de um relacionamento que se sustentou num status fajuto e sem sentido. Vivemos todo esse tempo por meio de uma audácia, enfrentando os obstáculos que colocamos juntos no meio do nosso caminho. O problema, desde o início, não fui eu ou você.
Nós éramos um problema.
Acometidos de tantos erros, já te vi por desistência antes mesmo de pensar em enfrentar. Inúmeras vezes me vi lutando sozinha contra o que tu destruía com as tuas próprias mãos. E isso me fez doer, porque um dia me jurou que estaria aqui sempre comigo. Logo você, que fez justamente o contrário. Me deixou aqui sozinha, com problemas que nunca quis ter para nós dois. Noites antes, me vi no espelho enxergando os primeiros sinais de tanto estresse. Uma mágoa aparente, consequência da estupidez de sustentar uma emoção que nem isso tinha mais... Nosso sentimento fora diluído por meio de anos de brigas e ciúmes sem motivo. E, então, viu-se pálido. O amor ficou sem cor. Nós ficamos sem destino. Lembra, querido, o quanto nos disseram que jamais daríamos certo? Eu deveria ter ouvido. Aquela porta que fechou, num susto impetuoso, era só mais um sinal do que nos separaria dali para frente. Os obstáculos são outros, dos quais já faço questão de que estejam no meio do seu caminho.
Eu sei, meu bem, encaramos tudo isso de uma forma impávida, tomados por uma sensação de que existia cara metade. Eu estava enganada. Em vez de me completar, saí dessa história duas metades a menos. A sua e a minha. Você ficou com a metade que não me faltou e eu fui com metade de mim ferida, estraçalhada, em remendos que tentei costurar durante esses anos. Mas o desespero acalmou, a tristeza tomou-se por amistosa e a intenção já era essa mesma: um dia encravaríamos um ponto final nesse drama todo.
Por dois pedidos de desistência. Bandeiras brancas hasteadas, adversários postos cara a cara. Você carregava um semblante perfeito de não se incomodar, e eu bem sabia que aquela era sua melhor arma. Com metade de mim já dada por morta, restei lutar com a que me mantinha viva. Quase movida por um ímpeto, quis bater-lhe a face, para mostrar o quanto aquilo não doía perto das cicatrizes que deixou em mim. O fardo maior eu carregava num peito que te amou por inteiro, e você, nunca amou nem pelas metades. Justamente por isso, jamais entendi porquê estivemos tanto tempo juntos. Você não disse uma palavra sequer, mas sei o quanto seus pensamentos estavam carregados de adjetivos impróprios. Inacreditável que tudo aquilo que éramos converteu-se a um ódio recheado de amargura e rancor do passado.
Mas eu precisava daquilo. E disse tudo aquilo que você merecia ter ouvido desde o primeiro dia da sua vida.
No entanto, soube que o idiota era você, não por tudo que fez, mas pelo que deixou de fazer. Perdera, sem ao menos resistir, algo tão bom que não acontece duas vezes. Mas agora, meu bem, só me resta sentir muito. Por você e por nós, que ainda bem, não existe mais. Enquanto isso, vou levando. Uma dose de veneno, fria e calculista, esperando o momento certo de devolver-lhe o que merece. Não se assuste. De todas as metades envolvidas, essa você nunca conheceu. Coitadinho, meu ponto fraco continua aqui, nessa parte que resistiu até o fim. Talvez eu lhe apareça, e você se arrependerá por cada instante que me fez sofrer. Sua dose é cavalar, fatal e fugaz. Eu sei, querido, eu sei. Eu também sinto muito ter que fazer tudo isso. Mas você já não tem mais escolha. Só para te avisar: estou de volta. Não para a sua vida.
Para a minha.
E isso, meu amor, pode se tornar seu pior pesadelo.
Garota Veneno

0 commentaires:

mensajes bonitos © 2015 - 2016 : All Rights Reserved